Terça-feira, 15 de Dezembro de 2009

Todos os países devem aceitar sacrifícios pelo clima; ouça especialista

da Folha Online

Nesta segunda-feira (14), o bloco africano abandonou as negociações sobre o clima em Copenhage. Horas depois, após conseguir garantias de que a conferência colocará mais foco na prorrogação do Protocolo de Kyoto, tornou a participar das negociações.

Para o presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental, Carlos Bocuhy, a atitude do bloco africano está relacionada ao despreparo do mundo frente ao tema. Segundo o especialista, reuniões como a da Cúpula da ONU deveriam ocorrer com muito mais frequência.

"Há uma urgência de um posicionamento global em relação ao clima. Todos os países devem aceitar sua dose de sacrifício", ressalta Bocuhy.

 


 

publicado por ecotv às 10:44

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Dezembro de 2009

Projeto da FAO promove agricultura sustentável

 




Autor: Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York*.




Programa lançado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação prevê múltiplos doadores, primeiro país a contribuir é a Finlândia; agricultura é uma fonte importante de gases que provocam o efeito estufa, contribuindo com cerca de 14% do total das emissões.

Apoio para agricultura

A Finlândia é o primeiro país a contribuir para o programa de apoio a mitigação de mudanças climáticas no setor agrícola nos países pobres, lançado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO.

Orçado em US$ 60 milhões, cerca de R$ 100 milhões, o plano envolve múltiplos doadores e visa promover uma agricultura sustentável de baixo teor de carbono nas nações em desenvolvimento, nos próximos anos.

Apoio

Um comunicado conjunto divulgado nesta terça-feira pela agência das Nações Unidas e pelo governo finlandês indica que o país nórdico vai fornecer um apoio inicial de cerca de US$ 4 milhões, quase R$7 milhões, para o período 2010-2011.

A agricultura é uma fonte importante de gases que provocam o efeito estufa, contribuindo com cerca de 14% do total das emissões. Mas o setor também tem um forte potencial para reduzir esses gases nocivos, retirando dióxido de carbono da atmosfera e sequestrando-o nos solos.

O diretor-geral assistente da FAO, Alexander Muller, disse que já existem muitas tecnologias apropriadas e práticas de cultivo para sequestrar o carbono em pequenas parcelas agrícolas.

Ele adiantou que essas práticas podem também ajudar a reduzir a fome e a pobreza.

Potencial

Muller disse contudo que ainda existem muitos obstáculos que precisam ser ultrapassados antes da adoção dessas novas técnicas e práticas. O programa da FAO tem por principal objetivo desbloquear o potencial da mitigação no setor agrícola.

O novo plano foi lançado em Copenhague, na Dinamarca, no quadro da conferência da ONU sobre Alterações Climáticas que teve início na segunda-feira.

*Apresentação: Leda Letra, Rádio ONU, Nova York.
</embed>


 

Seu nome:
Seu e-mail:
Nome do destinatário:
E-mail do destinatário:
   
   
--------

publicado por ecotv às 18:51

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 23 de Novembro de 2009

Unesco lança no Brasil guia para rádios comunitárias

 

Real Imprimir

Publicação sobre direitos humanos na mídia foi organizado pelo Escritório da agência da ONU em Brasília; série com spots para as rádios também fazem parte do projeto.

Guia eletrônico gratuito

Guia eletrônico gratuito

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, lançou no Brasil o guia "Direitos Humanos na Mídia Comunitária - A cidadania vivida no nosso dia a dia". A publicação foi organizada pelo escritório da Unesco em Brasília, em parceria com a ONG Oboré.

O guia eletrônico, de 38 páginas, escrito de forma clara e simples, foi criado especialmente para as rádios comunitárias brasileiras e traz noções básicas de civilização, direitos sociais, culturais e políticos.

Spots

O material serve como ferramenta para líderes comunitários e pode ser usado em rádios, páginas eletrônicas ou até em reuniões de escolas, sindicatos ou igrejas. A publicação está disponível somente pelo site da Unesco e o download é gratuito.

O projeto inclui uma série com dez spots de rádio sobre direitos dos idosos e das pessoas com deficiência; direitos das mulheres; violência familiar e nas escolas e até o que fazer em caso de abordagem policial.

Todos os spots também podem ser baixados no site da Unesco. Segundo a agência da ONU, o guia contém o texto completo da Declaração Universal dos Direitos Humanos e destaca a importância da promoção da cidadania, ética, respeito mútuo e atitudes de não-violência.

publicado por ecotv às 16:44

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 17 de Novembro de 2009

Quando a sociedade vigia os gastos

 

Projeto brasileiro vence na Guatemala prêmio de Inovação Social promovido pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, Cepal, e pela Fundação Kelogg; Observatório Social, em Maringá, fiscaliza o uso do dinheiro público pelo município.

Ariovaldo Costa Paulo

Ariovaldo Costa Paulo

Laura Kwiatkowski, da Rádio ONU na Guatemala*.

 

O século vinte e um começou com notícias pouco promissoras para a cidade de Maringá, no estado do Paraná. O prefeito havia desviado U$S 50 milhões de recursos estatais.

As pessoas se indignaram. Os envolvidos foram declarados culpados mas o dinheiro nunca voltou aos cofres do Estado.

A sociedade civil resolveu tomar conta do assunto. As igrejas de diferentes denominações, os maçons, os empresários, o Rotary, os sindicatos e outros setores se reuniram para discutir a situação, explica Ariovaldo Costa Paulo.

Dinheiro Público

"Chegamos a conclusão de que tínhamos que fazer algo. Uma pessoa com quem convivíamos assinava um cheque da prefeitura e comprava um carro zero quilômetro. O dinheiro era público, e o conceito do dinheiro público parace que não tinha dono. O dinheiro é do público e não público".

Então eles criaram uma organização não governamental chamada Observatório Social de Maringá, do qual Costa Paulo é vice-presidente. O primeiro passo foi controlar as licitações para evitar a ocorrência de desvios, e reduções imediatas e significativas foram alcançadas.

"Se um tem uma licitação com duas empresas e uma diz que a mercadoria custa 1000 quando custa 100 e não há concorrência, ela ganha. É legal. Quando existia a inflação se adicionava os 20 por cento. Mas se esqueceram de dizer aos funcionários que havia acabado a inflação e continuaram colocando os 20 por cento".

Licitações

Às vezes o preço final da licitação alcançava até 7500% acima do preço de mercado, diz Costa Paulo. O Observatório obteve êxito em aumentar a concorrência atraindo mais empresas a essas licitações. Na verdade, trabalha com três metodologias.

"Primeiro, observamos a descrição do edital. Se esse edital não está direcionado a uma empresa em particular. Se for assim, corrigimos. Trabalhamos em tempo real antes que se desvie o dinheiro. Se tem problemas, pedimos que cancele a oferta".

Estuda também o orçamento, preços, qualidade e quantidade e acompanha a entrega do produto, que deve ser coerente com o pedido. O Observatório ainda supervisiona os gastos municipais e faz com que as contratações de pessoal sejam feitas através de concursos públicos.

O que pensam do Observatório Social os funcionários do município? Costa Paulo responde.

Prêmio

"Entre os políticos há uma certa aversão. Agora entre os funcionários públicos, os funcionários de carreira, o Observatório tem uma acolhida muito boa. Porque no Brasil temos uma das maiores cargas tributárias do mundo, ao redor de 40%, mas não recebemos os serviços. Então pagamos impostos de primeiro mundo e recebemos serviços de terceiro mundo. O que queremos, o que todos os cidadãos querem é receber os serviços".

A atuação do Observatório para evitar o mau uso do dinheiro público, adiciona Ariovaldo Costa Paulo, permite investir a poupança em saúde, educação e acabar com a fome e a miséria, e alcançar assim os objetivos do Desenvolvimento do Milênio.

Este projeto foi o vencedor do Concurso de Inovação Social organizado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, Cepal, e pela Fundação Kelogg.

*Apresentação: Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.

publicado por ecotv às 17:26

link do post | comentar | favorito

ONU lança no Brasil campanha "Igual a Você"

 Filmes que serão veiculados em emissoras de TV pedem o fim do preconceito contra gays, negros, refugiados, pessoas com HIV e usuários de drogas; seis escritórios da ONU organizam o projeto.

Campanha contra precoceito

Campanha contra precoceito

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas lançaram nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro, a campanha "Igual a Você", para diminuir o estigma e o preconceito no Brasil. A proposta é chamar a atenção para a discriminação sofrida diariamente por gays, negros, pessoas com HIV, refugiados, profissionais do sexo e usuários de drogas.

A campanha é formada por dez vídeos de 30 segundos cada, que serão veiculados gratuitamente por emissoras de televisão em todo o país. Os filmes destacam os direitos humanos, com mensagens gravadas por lideranças dos grupos discriminados, considerando diversidades de idade, raça e etnia.

Agências

O Centro de Informações das Nações Unidas para o Brasil, Unic-Rio e outras cinco agências da ONU lideram a iniciativa: a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco; o Programa Conjunto da ONU sobre HIV/Aids, Unaids; o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur; o Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime, Unodc e o Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher,Unifem.

O coordenador do Unaids no Brasil, Pedro Chequer, falou à Rádio ONU, do Rio de Janeiro, sobre a importância de usar a mídia para combater o preconceito.

"O objetivo desta campanha é trazer à pauta da mídia, da sociedade brasileira a questão da discriminação e estigma. E construir uma agenda efetivamente positiva do ponto de vista do debate, da reflexão, sobre os direitos humanos em nosso país", relatou.

Segundo o coordenador do Unaids, Pedro Chequer, a campanha "Igual a Você" também será veiculada em breve nas emissoras de rádio brasileiras.

publicado por ecotv às 01:24

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 13 de Novembro de 2009

Três projetos brasileiros são finalistas em concurso da Cepal

 

Real Baixar Imprimir Compartilhar

 

Foto: OMS

Foto: OMS

Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova York.*

Termina nesta sexta-feira, na Cidade da Guatemala, a 5 Feira de Inovação Social, promovida pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, Cepal.

Durante o evento, que começou na quarta-feira, a agência da ONU exibiu projetos que contribuíram para a luta contra a pobreza e a desigualdade social na região. Entre as melhores iniciativas, três são brasileiras.

Assistência

Uma delas é o projeto "Anjo da Guarda", que consiste em oferecer assistência material e afetiva a crianças que aguardam adoção em Goiânia, no estado de Goiás.

O criador da iniciativa, o juíz da infância Maurício Porfirio Rosa, disse à Rádio ONU, da Guatemala, o que o motivou a dar início ao projeto.

"Quando eu visitava esses refúgios eu me comovia, me consternava ver que as crianças de mais de cinco anos não tinham sequer a expectativa de receber uma visita ou uma data comemorativa ou feriado. Isso me deixou transtornado e eu pensei que poderíamos criar um mecanismo para suprir essa deficiência, essa falha legal", afirmou.

Padrinhos

O "Anjos da Guarda", conta com três tipos de voluntários, chamados de "padrinhos". O primeiro deles é o provedor, que se oferece para cobrir custos pessoais e de educação das crianças.

Na segunda categoria estão médicos e outros profissionais que se dispõem a atender os pequenos no orfanato, e a terceira categoria de padrinhos inclui aqueles que dividem seu tempo com as crianças em datas especiais e nos fins de semana.

*Apresentação: Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.

 

 


publicado por ecotv às 11:46

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 12 de Novembro de 2009

Pequenos fazendeiros devem ser incluídos em pacto climático


Posted in Ecologia on Nov 12, 2009 at 10:06 AM


O apelo é do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola; em muitos países em desenvolvimento, esses trabalhadores são os mais vulneráveis aos impactos da mudança climática.

Ajuda a trabalhadores rurais


Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova York.


Pequenos fazendeiros devem ser inclu;idos em pacto clim�tico.mp3 - Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova York

Os 5 milhões de pequenos trabalhadores rurais de todo o mundo devem ser beneficiados por um novo acordo climático, previsto para ser assinado em dezembro deste ano, durante a Conferência de Copenhague, na Dinamarca.

A afirmação é do diretor da divisão técnica do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Rodney Cooke. Em coletiva de imprensa no começo da semana, Cooke disse que as pequenas propriedades rurais atendem a demanda por alimentos de, pelo menos, 1/3 da população mundial.

Aliados

Segundo ele, os trabalhadores do campo são importantes aliados no combate ao deflorestamento e ao aquecimento global. Mas, para garantir esse apoio, é preciso que eles tenham acesso à água, à terra e a incentivos técnicos que ampliem os cultivos sem agredir o meio-ambiente.

Em muitos países em desenvolvimento, onde a agricultura emprega cerca de 70% dos trabalhadores, os pequenos fazendeiros são os mais vulneráveis aos impactos da mudança climática.

Para essas comunidades, a crise do clima pode resultar em dívidas, em migrações forçadas e na dependência de ajuda humanitária.

A ONU estima que o aquecimento global pode colocar 49 milhões de pessoas sob o risco da fome, se nada for feito para deter o problema.

publicado por ecotv às 12:16

link do post | comentar | favorito

Delicious Facebook MySpace Sonico Twitter

 

Real Baixar Imprimir Compartilhar

 

O apelo é do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola; em muitos países em desenvolvimento, esses trabalhadores são os mais vulneráveis aos impactos da mudança climática.

Ajuda a trabalhadores rurais

Ajuda a trabalhadores rurais

Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova York.

 

Os 5 milhões de pequenos trabalhadores rurais de todo o mundo devem ser beneficiados por um novo acordo climático, previsto para ser assinado em dezembro deste ano, durante a Conferência de Copenhague, na Dinamarca.

A afirmação é do diretor da divisão técnica do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Rodney Cooke. Em coletiva de imprensa no começo da semana, Cooke disse que as pequenas propriedades rurais atendem a demanda por alimentos de, pelo menos, 1/3 da população mundial.

Aliados

Segundo ele, os trabalhadores do campo são importantes aliados no combate ao deflorestamento e ao aquecimento global. Mas, para garantir esse apoio, é preciso que eles tenham acesso à água, à terra e a incentivos técnicos que ampliem os cultivos sem agredir o meio-ambiente.

Em muitos países em desenvolvimento, onde a agricultura emprega cerca de 70% dos trabalhadores, os pequenos fazendeiros são os mais vulneráveis aos impactos da mudança climática.

Para essas comunidades, a crise do clima pode resultar em dívidas, em migrações forçadas e na dependência de ajuda humanitária.

A ONU estima que o aquecimento global pode colocar 49 milhões de pessoas sob o risco da fome, se nada for feito para deter o problema.

publicado por ecotv às 11:37

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 11 de Novembro de 2009

Pnuma defende adaptação das leis para uma economia "verde"

 

Real Baixar Imprimir Compartilhar

Treinamento na sede da agência oferece aos países alternativas legais para o combate aos problemas relacionados ao meio-ambiente em seus territórios.

Foto: Pnuma

Foto: Pnuma

Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova York.

Representantes de mais de 60 países estão reunidos nesta quarta-feira, em Nairóbi, no Quênia, para um treinamento que alerta sobre a urgência de adaptação das leis para as novas necessidades ambientais.

 

O encontro, que acontece na sede do Programa das Nações Unidas para o Meio-Ambiente, Pnuma, enfatiza a importância dos mecanismos legais na transição para uma economia global mais "verde".

Desafios Ambientais

O treinamento, já em sua 9ª edição, vai oferecer aos governos alternativas de aplicação das leis para combater os problemas relacionados ao meio-ambiente nos países.

Na pauta do encontro estão casos como o processo de desertificação no Níger, o aumento do nível do mar nas Ilhas Maldivas e o desmatamento no Nepal.

O treinamento do Pnuma acontece uma semana após o lançamento de um relatório do órgão que pede o fortalecimento das leis ambientais internacionais para a proteção dos países em situação de guerra.

O curso em Nairóbi termina na sexta-feira. Entre os dias 7e 18 de dezembro, o assunto será novamente discutido durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, que acontece em Copenhague, na Dinamarca.

publicado por ecotv às 19:17

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 10 de Novembro de 2009

Banco Mundial lança '100 Ideias para Salvar o Planeta'

 

Real Baixar Imprimir Compartilhar

Cem projetos de 47 países com propostas de combate às alterações climáticas já foram escolhidos para a fase final; vencedores serão premiados com US$ 200 mil.  

Foto: Pnuma

Foto: Pnuma

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.

'Cem ideias para salvar o planeta'. Esse é o nome de uma competição lançada nesta terça-feira pelo Banco Mundial, em Washington DC, capital americana.

 

Durante quatro dias um júri formado por especialistas e profissionais internacionais vai debater os 100 projetos finalistas vindos de várias partes do mundo.

Inovação

O objetivo é selecionar entre 20 e 25 propostas inovadoras referentes às mudanças climáticas.

Mais de 1,7 mil inscritos participaram da primeira fase de seleção. Os escolhidos para a última etapa vem de 47 países, incluindo projetos da América Latina e do Caribe, como o trabalho de gestão de risco de desastres apresentado por uma comunidade da cidade de Cochabamba, na Bolívia.

Os finalistas deste ano foram selecionados com base em três tópicos: resistência dos povos indígenas, gerenciamento de riscos com múltiplos benefícios e adaptação climática.

Entre os projetos estão propostas de grupos indígenas, que somam 250 milhões de pessoas no mundo e estão entre os habitantes mais ambientalmente ameaçados do planeta.

Vencedores

A competição faz parte do 'Mercado de Desenvolvimento', programa de recursos administrado pelo Banco Mundial.

Os escolhidos irão receber até US$ 200 mil, cerca de R$ 345 mil, para transformar as ideias em ação num período de dois anos. Os vencedores serão anunciados na próxima sexta-feira, dia 10.

publicado por ecotv às 10:48

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Todos os países devem ace...

. Projeto da FAO promove a...

. Unesco lança no Brasil gu...

. Quando a sociedade vigia ...

. ONU lança no Brasil camp...

. Três projetos brasileiro...

. Pequenos fazendeiros deve...

. Delicious Facebook MySpac...

. Pnuma defende adaptação ...

. Banco Mundial lança '100...

.arquivos

. Fevereiro 2013

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Aquecedor solar de garraf...

.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds