Quinta-feira, 26 de Novembro de 2009

O lixo visto dos céus,

artigo de Ana Echevenguá

lixo

[EcoDebate] Em 24 de novembro de 2009, o Instituto Eco&Ação, integrante da Procuradoria Ambientalista/ONGs Brasil, realizou um sobrevôo de helicóptero sobre o extremo sul de Santa Catarina. A iniciativa faz parte do projeto de elaboração de um diagnóstico da disposição dos resíduos domésticos e industriais de Santa Catarina. Convidamos dois cinegrafistas para testemunhar e documentar alguns dos crimes ambientais que tranquilamente são praticados naquela região. Mortineli, da RBS, não mediu esforços para capturar as melhores imagens. Quem sabe, sabe! No assento ou no chão do helicóptero, mirando sua filmadora pra direita, pra esquerda… sempre na busca do melhor ângulo, o expert não parava quieto!

A ‘experiência verde’ do piloto Rogério Giassi, que costuma filmar a estada das baleias francas na nossa costa, foi muito importante para o sucesso da nossa missão. Mas, nada faríamos sem o conhecimento do Rodrigo Moretti, que conhece cada palmo da bela região em que mora.

Nas duas horas de sobrevôo, o que vimos lá de cima?

- Empresas (algumas que possuem fachada bonita, premiações internacionais pelo bom desempenho) jogando o rejeito da sua produção (lixo contaminado) no seu quintal ou em lugares estrategicamente escolhidos devido à dificuldade de acesso por terra;

- Aterros sanitários, construídos especialmente para tratar o lixo nosso de cada dia, estão em situações precárias, deixando de fazer a ‘lição de casa’. Um deles, que funciona por força de um TAC firmado com o Ministério Público Federal, já virou lixão. O mau cheiro chegou ao nosso nariz, a 300 metros de altura. Mas, com certeza, seus cofres recebem o pagamento – principalmente das prefeituras – para tratamento e destinação final correta dos resíduos que os municípios produzem.

- Um incinerador de lixo hospitalar sem qualquer cuidado com o lixo que recebe. E que deveria estar lacrado; mas a ordem judicial para tanto foi suspensa em instância superior e só Deus sabe quando ocorrerá o julgamento definitivo do causu.

- Muito lixo jogado em beira de estrada, em zona urbana, em locais já degradados pela mineração, em locais praticamente inacessíveis por terra; escondido em clareiras na mata… e muita gente mexendo em lixo, sem qualquer proteção; tentando sustentar sua família com o fruto de trabalho sub-humano.

Não nos preocupamos com as montanhas de pirita porque isso será objeto de outra subida aos céus…

As imagens capturadas serão entregues aos órgãos competentes para que tomem as medidas legais cabíveis: autuação, embargo das atividades, aplicação de multas, recuperação do dano que estão causando… ou até mesmo a assinatura de TAC (Termo de Ajuste de Conduta).

Bom, no mesmo dia, tanto a RBS como a TV Cultura manifestaram interesse no tema – que atinge a vida e a saúde de todos –e veicularam reportagem a respeito. Douglas, da RBS, captou tudo rapidinho, fez algumas anotações, escolheu o melhor local para nossa entrevista e produziu uma matéria bem pedagógica que foi veiculada até em Florianópolis.

A Baby, apresentadora de um dos programas do Canal 19, pegou-me de surpresa ao perguntar: “vocês fazem tudo isso, levam ao conhecimento dos órgãos competentes, vêem que nada é feito e como vocês se sentem? Não perdem o estímulo?”

Não, Baby, embora seja inegável o sentimento de frustração que às vezes nos invade… Mas sabemos que devemos fazer algo para preservar nosso Planeta. A nossa EcoConsciência fala mais alto! E, se pudermos contagiar as pessoas a denunciarem as ilegalidades, a buscarem o cumprimento das nossas leis, já teremos avançado muito nos nossos propósitos!

Ana Echevenguá, advogada ambientalista, coordenadora do programa Eco&Ação, presidente do Instituto Eco&Ação e da Academia Livre das Água, e-mail: ana{at}ecoeacao.com.br, website: http://www.ecoeacao.com.br.

publicado por ecotv às 03:54

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 23 de Novembro de 2009

Já mediu sua popularidade no Twitter?


Usuário acessa perfil no Twitter: ferramenta dá pontos ao usuário em quatro categorias: quantas pessoas lêem o que ele escreve; quanto seguidores o usuário tem, quão ativamente ele participa e se as pessoas acreditam em nele.

Foto: Reuters

CINGAPURA - Você possui seguidores e atualiza regularmente seu microblog, mas já se perguntou qual é sua popularidade no Twitter?

publicado por ecotv às 13:34

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 17 de Novembro de 2009

Quando a sociedade vigia os gastos

 

Projeto brasileiro vence na Guatemala prêmio de Inovação Social promovido pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, Cepal, e pela Fundação Kelogg; Observatório Social, em Maringá, fiscaliza o uso do dinheiro público pelo município.

Ariovaldo Costa Paulo

Ariovaldo Costa Paulo

Laura Kwiatkowski, da Rádio ONU na Guatemala*.

 

O século vinte e um começou com notícias pouco promissoras para a cidade de Maringá, no estado do Paraná. O prefeito havia desviado U$S 50 milhões de recursos estatais.

As pessoas se indignaram. Os envolvidos foram declarados culpados mas o dinheiro nunca voltou aos cofres do Estado.

A sociedade civil resolveu tomar conta do assunto. As igrejas de diferentes denominações, os maçons, os empresários, o Rotary, os sindicatos e outros setores se reuniram para discutir a situação, explica Ariovaldo Costa Paulo.

Dinheiro Público

"Chegamos a conclusão de que tínhamos que fazer algo. Uma pessoa com quem convivíamos assinava um cheque da prefeitura e comprava um carro zero quilômetro. O dinheiro era público, e o conceito do dinheiro público parace que não tinha dono. O dinheiro é do público e não público".

Então eles criaram uma organização não governamental chamada Observatório Social de Maringá, do qual Costa Paulo é vice-presidente. O primeiro passo foi controlar as licitações para evitar a ocorrência de desvios, e reduções imediatas e significativas foram alcançadas.

"Se um tem uma licitação com duas empresas e uma diz que a mercadoria custa 1000 quando custa 100 e não há concorrência, ela ganha. É legal. Quando existia a inflação se adicionava os 20 por cento. Mas se esqueceram de dizer aos funcionários que havia acabado a inflação e continuaram colocando os 20 por cento".

Licitações

Às vezes o preço final da licitação alcançava até 7500% acima do preço de mercado, diz Costa Paulo. O Observatório obteve êxito em aumentar a concorrência atraindo mais empresas a essas licitações. Na verdade, trabalha com três metodologias.

"Primeiro, observamos a descrição do edital. Se esse edital não está direcionado a uma empresa em particular. Se for assim, corrigimos. Trabalhamos em tempo real antes que se desvie o dinheiro. Se tem problemas, pedimos que cancele a oferta".

Estuda também o orçamento, preços, qualidade e quantidade e acompanha a entrega do produto, que deve ser coerente com o pedido. O Observatório ainda supervisiona os gastos municipais e faz com que as contratações de pessoal sejam feitas através de concursos públicos.

O que pensam do Observatório Social os funcionários do município? Costa Paulo responde.

Prêmio

"Entre os políticos há uma certa aversão. Agora entre os funcionários públicos, os funcionários de carreira, o Observatório tem uma acolhida muito boa. Porque no Brasil temos uma das maiores cargas tributárias do mundo, ao redor de 40%, mas não recebemos os serviços. Então pagamos impostos de primeiro mundo e recebemos serviços de terceiro mundo. O que queremos, o que todos os cidadãos querem é receber os serviços".

A atuação do Observatório para evitar o mau uso do dinheiro público, adiciona Ariovaldo Costa Paulo, permite investir a poupança em saúde, educação e acabar com a fome e a miséria, e alcançar assim os objetivos do Desenvolvimento do Milênio.

Este projeto foi o vencedor do Concurso de Inovação Social organizado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, Cepal, e pela Fundação Kelogg.

*Apresentação: Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.

publicado por ecotv às 17:26

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 12 de Novembro de 2009

Delicious Facebook MySpace Sonico Twitter

 

Real Baixar Imprimir Compartilhar

 

O apelo é do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola; em muitos países em desenvolvimento, esses trabalhadores são os mais vulneráveis aos impactos da mudança climática.

Ajuda a trabalhadores rurais

Ajuda a trabalhadores rurais

Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova York.

 

Os 5 milhões de pequenos trabalhadores rurais de todo o mundo devem ser beneficiados por um novo acordo climático, previsto para ser assinado em dezembro deste ano, durante a Conferência de Copenhague, na Dinamarca.

A afirmação é do diretor da divisão técnica do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Rodney Cooke. Em coletiva de imprensa no começo da semana, Cooke disse que as pequenas propriedades rurais atendem a demanda por alimentos de, pelo menos, 1/3 da população mundial.

Aliados

Segundo ele, os trabalhadores do campo são importantes aliados no combate ao deflorestamento e ao aquecimento global. Mas, para garantir esse apoio, é preciso que eles tenham acesso à água, à terra e a incentivos técnicos que ampliem os cultivos sem agredir o meio-ambiente.

Em muitos países em desenvolvimento, onde a agricultura emprega cerca de 70% dos trabalhadores, os pequenos fazendeiros são os mais vulneráveis aos impactos da mudança climática.

Para essas comunidades, a crise do clima pode resultar em dívidas, em migrações forçadas e na dependência de ajuda humanitária.

A ONU estima que o aquecimento global pode colocar 49 milhões de pessoas sob o risco da fome, se nada for feito para deter o problema.

publicado por ecotv às 11:37

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 4 de Novembro de 2009

Música de John Lennon dá uma chance a paz

 

Real Baixar Imprimir Compartilhar

Canção de ex-integrante dos Beatles vai ajudar a angariar fundos para órgão das Nações Unidas; versão digital comemora os 40 anos de uma das gravações mais famosas do artista britânico.

Fundos para ONU

Fundos para ONU

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York*.

 

Fundos angariados pela venda na internet, até o fim do ano, da célebre canção de John Lennon, "Dê uma Chance à Paz", serão revertidos em benefício da Comissão de Consolidação da Paz das Nações Unidas

O anúncio foi feito nesta terça-feira na sede da ONU, em Nova York, pelo presidente do órgão, o embaixador do Chile, Heraldo Munoz.

Versão

Uma versão digitalizada da canção, lançada para comemorar o 40º aniversário da gravação original do músico do grupo "The Beatles", poderá ser baixada no programa Itunes.

Durante conferência de imprensa, Munoz pediu a outros filantropistas para seguirem o exemplo da viúva de Lennon, Yoko Ono, e ajudarem a mobilizar recursos para financiar as atividades da Comissão de Consolidação da Paz das Nações Unidas.

Ele revelou que o órgão já angariou cerca de US$ 315 milhões através de contribuições voluntárias.

Paz sustentável

A Comissão tem por objetivo ajudar países que emergem de conflitos a criarem uma paz sustentável para não voltarem a cair na guerra e no caos.

Desde a sua criação, em 2005, o órgão vem trabalhando essencialmente com quatro países africanos: Guiné-Bissau, Serra Leoa, República Centro-Africana e Burundi. Ela financiou também projetos em 14 outras nações, incluindo o Haiti, Nepal e a Côte d'Ivoire.

*Apresentação: Daniela Traldi, da Rádio ONU, em Nova York.

publicado por ecotv às 12:44

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 29 de Outubro de 2009

Código Ambiental Ruralista

Por Redação da SOS Mata Atlântica

 

 

A Câmara dos Deputados instalou recentemente uma Comissão Especial criada para analisar as propostas de alteração do Código Florestal, incluindo o projeto de Lei de Código Ambiental de autoria do presidente da Frente Parlamentar Ruralista e que pretende revogar e alterar as principais leis ambientais brasileiras:  lei de crimes ambientais, Código Florestal, lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação e lei da Política Nacional de Meio Ambiente.
 
O processo de instalação dessa Comissão, que levou a uma composição notoriamente tendenciosa, formada por maioria de membros da bancada ruralista e que, portanto, não representa a diversidade de setores da sociedade brasileira interessada na sustentabilidade do nosso desenvolvimento, aponta para intenções retrógradas de eliminar direitos e flexibilizar garantias socioambientais conquistadas ao longo dos últimos 21 anos de vigência da Constituição Federal brasileira de 1988.
 
Nos últimos meses o governo brasileiro e o Congresso Nacional tomaram decisões temerárias sobre a legislação ambiental. A revogação da legislação da década de 1990 que protegia as cavernas brasileiras; a aprovação da MP 458 que incentivou a grilagem de terras, a concentração fundiária e o avanço do desmatamento ilegal na Amazônia; a edição do Decreto 6848, que, ao estipular um teto para a compensação ambiental de grandes empreendimentos, contraria decisão do Supremo Tribunal Federal, que vincula o pagamento ao grau dos impactos ambientais.

Além disso, o governo brasileiro tem negligenciado a política ambiental, mantendo paralisados na Casa Civil da Presidência da República várias propostas de criação de unidades de conservação.

As organizações da sociedade brasileira abaixo assinadas denunciam esse ataque à legislação ambiental. É inaceitável que às vésperas da reunião da Convenção de Clima, em Copenhague, momento em que o Brasil discute compromissos de redução do desmatamento, e das emissões de gases causadores do efeito estufa, o Congresso Nacional tente promover retrocessos na legislação ambiental.

Os compromissos de redução de desmatamento que o Brasil assumiu não serão alcançados e as áreas hoje ambientalmente comprometidas jamais serão recuperadas se o marco regulatório existente for desconfigurado, como propõe a Bancada Ruralista com a conivência e o apoio da base do Governo no Congresso Nacional.

Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento Sustentável – FBOMS
Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social
Grupo de Trabalho Amazônico - GTA
Rede de ONGs da Mata Atlântica - RMA
Fórum Carajás
Assembléia Permanente de Entidades em Defesa do Meio Ambiente do Estado do Rio de Janeiro – APEDEMA-RJ

Amigos da Terra - Amazônia Brasileira
Associação Alternativa Terrazul
Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida - APREMAVI
Associação de Proteção ao Meio Ambiente - APROMAC
Centro de Estudos Ambientais – CEA
Ecologia & Ação – ECOA
Fundação SOS Mara Atlântica
Fundação Vitória Amazônica - FVA
Greenpeace
Grupo Ambientalista da Bahia - GAMBA
Grupo de Defesa e promoção Socioambiental - GERMEN
Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor – IDEC
Instituto Centro Vida – ICV
Instituto de Estudos Socioeconômicos – INESC
Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola - IMAFLORA
Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia - IMAZON
Instituto Ipanema
Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia - IPAM
Instituto Socioambiental - ISA
Instituto Socioambiental da Baía da Ilha Grande - ISABI
4 Cantos do Mundo
Mater Natura - Instituto de Estudos Ambientais
Movimento pela Despoluição, Conservação e Revitalização do Rio do Antônio - MODERA
Programa da Terra - PROTER
TNC
WWF Brasil
Vitae Civilis - Instituto para o Desnvolvimento, Meio Ambiente  e Paz


(Envolverde/SOS Mata Atlântica)
 

© Copyleft - É livre a reprodução exclusivamente para fins não comerciais, desde que o autor e a fonte sejam citados e esta nota seja incluída.

 

publicado por ecotv às 11:26

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 26 de Outubro de 2009

Pnuma: US$ 500 bilhões para economia verde

 

Real BaixarImprimirCompartilhar

Relatório ressalta investimentos necessários para o meio-ambiente nos países em desenvolvimento; agência da ONU aponta medidas financeiras e caminhos para reduzir emissão de carbono.

 

 

Novo relatório do Pnuma

Novo relatório do Pnuma

Daniela Traldi, da Rádio ONU, em Nova York.


 

Investimentos de US$ 500 bilhões por ano, mais de R$ 800 bilhões, serão necessários para ajudar países em desenvolvimento a se adaptarem às mudanças climáticas e à produção de baixa emissão de carbono.

Essa é a conclusão de um relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio-Ambiente, Pnuma, divulgado em parceria com investidores e companhias de seguro, nesta segunda-feira, na Cidade do Cabo, África do Sul.

Recomendações

O estudo aponta uma série de recomendações para os países em desenvolvimento vencerem atuais obstáculos econômicos e atingirem o patamar de economias 'verdes'.

Entre os tópicos estão políticas públicas diferenciadas, como a criação de um seguro para países que repudiem medidas de proteção ao meio-ambiente, o financiamento público de um fundo monetário que ofereça proteção às economias locais e o aumento dos acordos relacionados a baixa emissão de carbono.

O relatório sugere ainda que os setores público e privado devem desempenhar papel complementar para superar os desafios da mudança climática.

Pnuma

O Diretor do Pnuma Achim Steiner disse que 'o combate à mudança climática é uma oportunidade importante para direcionar economias para um caminho de baixa emissão e recursos eficientes'.

Segundo ele, se as medidas forem bem sucedidas, países em desenvolvimento podem e devem ser parte das transformações.

Achim Steiner afirmou que o relatório ressalta as atuais barreiras para a readaptação econômica dos países, estabelecendo o caminho para uma nova relação Norte-Sul.

publicado por ecotv às 16:17

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 23 de Outubro de 2009

Yamaha lança motocicleta elétrica no Tókio Motor Show

Postado em Carros e Transportes em 23/10/2009 às 16h00
     

 

moto-capa.jpg

O Tókio Motor Show deste ano trará, entre suas atrações, o novo conceito de moto elétrica da Yamaha. A EC-f será exibida entre os dias 24 de outubro e 4 de novembro e promete cativar o público com seu design futurista e sua tecnologia sustentável.

Os produtores investiram no estilo arrojado para atrair públicos de todas as idades. “Elas apresentam a simplicidade que apenas um veículo elétrico pode proporcionar, além de um estilo futurista. Sua facilidade de utilização, seu silencio e sua suavidade fazem da direção um ato prazeroso”, afirmam.

moto-2.jpg

O chassi da motocicleta é feito de alumínio, o que a torna mais leve. Suas engrenagens funcionam graças a uma bateria de íon-lítio de longa duração e a um motor elétrico de 0,6 kWh. O veículo pode ser abastecido em tomadas regulares, mas o fabricante não informou o tempo de recarga nem a autonomia da bateria.

A fim de tornar a CE-f ainda mais atrativo para o público em potencial, a Yamaha fez uma parceria com os principais fabricantes de motos japonesas para fazer lobby por mais espaços para estacionamento gratuitos de motocicleta e facilitar o acesso da população a licenças para esse tipo de veículo.

publicado por ecotv às 19:48

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 22 de Outubro de 2009

Mudança climática deve afetar duramente o turismo

Real Baixar Imprimir

OMT destaca que, mais uma vez, os grandes prejudicados serão os países pobres que se beneficiam da lucrativa indústria; organização estimula o "turismo verde".

Turismo sofre impacto

Turismo sofre impacto

Maria Cláudia Santos, da Rádio ONU em Nova York.

Pontos turísticos costeiros podem ser inundados com o aumento do nível do mar e estações de ski correm o risco de desaparecer devido ao derretimento das geleiras.

A previsão é da Organização Mundial do Turismo, OMT, que chamou atenção nesta quarta-feira para mais um dos lados destruidores das mudanças climáticas.

Indústria Lucrativa

O secretário-geral da OMT, Geoffrey Lipman, afirmou que o turismo chegou em uma encruzilhada e que terá que enfrentar o desafio do clima.

Segundo ele, qualquer fator que afete a lucrativa indústria irá ter forte impacto sobre a economia, como foi o caso do surto de 2001 de febre aftosa no Reino Unido.
Lipman lembra que, mais uma vez, os efeitos das alterações do clima vão prejudicar de forma mais acentuada as nações pobres, onde o turismo é um dos principais setores de exportação.

De acordo com a organização, em 2006, a indústria do turismo gerou mais de US$ 730 bilhões para os países em desenvolvimento.

Turismo Verde

Diante do quadro, a OMT lembra que é preciso buscar adaptações à nova realidade e apostar no "turismo verde", como forma de minimizar a catástrofe climática.

A organização aponta o setor do transporte aéreo, um dos grandes responsáveis por emissões de gases, como o primeiro a ter que se tornar sustentável, usando motores mais eficientes e os biocombustíveis.

publicado por ecotv às 16:55

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 20 de Outubro de 2009

Buenos Aires abre congresso sobre desenvolvimento florestal

Real Baixar Imprimir


Preservação de florestas

Preservação de florestas

Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova York.*

 

A capital da Argentina, Buenos Aires, sedia até sexta-feira o Congresso Mundial Florestal, promovido pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, em parceria com 150 países, entre eles, o Brasil.

Em sua 23º edição, o encontro discutirá temas como bioenergia, combate à mudança climática e uso sustentável dos recursos florestais.

Manutenção do Clima

O tema do Congresso neste ano, "Desenvolvimento Florestal, Equilíbrio Vital" pretende chamar a atenção dos países para a importância das florestas na manutenção do clima e na vida no planeta.

Para o diretor da divisão de ordenação florestal da FAO, José Antonio Prado, as discussões são ainda mais relevantes. Ele lembra que em dois meses, será realizada a Conferência da ONU sobre Mudança Climática, em Copenhague, na Dinamarca.

O professor titular da Universidade de São Paulo, Leonardo Gonçalves, disse à Rádio ONU, de Buenos Aires, que uma das formas de se preservar a floresta é proteger as comunidades que dependem diretamente dela.

Amazônia e Mata Atlântica

"Uma das idéias para diminuir a devastação da floresta é valorizá-la junto aos serviços ambientais prestados pelos nativos e pelas comunidades que vivem na região", afirmou.

Leonardo Gonçalves, que é um dos representantes do Brasil no Congresso, destacou que serão discutidas no encontro alternativas sustentáveis para o aproveitamento dos recursos da Amazônia e da Mata Atlântica.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

publicado por ecotv às 14:30

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Capivari de Baixo, mobili...

. Movimento pela vida, não ...

. A BP usou dispersante tóx...

. Instituto ambiental fede...

. O FSM dez anos depois: em...

. Veja AQUI na ECOTV o víde...

. Banco Mundial apoia proj...

. BNDES DIZ QUE NÃO HÁ CONT...

. Criação sustentável de jo...

. Yara planos interrompidos...

.arquivos

. Fevereiro 2013

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Aquecedor solar de garraf...

.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds