Segunda-feira, 22 de Junho de 2009

ONU diz que semi-árido brasileiro terá menos água em 2050

Previsão faz parte de um relatório baseado em 1,4 mil estudos científicos; segundo novos dados, se a temperatura ultrapassar 3,5ºC pelo menos 40% de espécies animais e vegetais poderão desaparecer.


Água ameaçada

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Um relatório das Nações Unidas sugere que os níveis atuais de aquecimento global poderão levar à diminuição da quantidade de água no semi-árido brasileiro já em 2050.

O alerta foi feito por um grupo de cientistas num documento de 36 páginas publicado nesta segunda-feira pelo Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma.

Ipcc

Vários especialistas também participaram do relatório de 2007 publicado pelo Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática, Ipcc.

Leia o boletim de Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

"O documento do Pnuma foi compilado com base em 1,4 mil estudos científicos apresentados em março passado em Copenhague, capital da Dinamarca.

De acordo com os novos dados, o mundo está enfrentando um risco crescente de mudanças climáticas abruptas e irreversíveis.

Além da possibilidade de escassez de água no semi-árido brasileiro, os cientistas alertam ainda para o mesmo problema em outras áreas como a Bacia do Mediterrâneo, o oeste dos Estados Unidos e o sul da África.

Espécies

Uma outra preocupação é com o aumento nos níveis de temperatura. Mais de 3,5ºC levariam à extinção de 40% a 70% de espécies animais e vegetais analisadas para a pesquisa.

Os cientistas afirmam que o aquecimento global também causa efeitos graves aos mares e oceanos. Com a acidificação provocada pelos altos níveis de dióxido de carbono, CO2, organismos marinhos como os arrecifes de corais são diretamente afetados.

Pelo documento, existem grandes riscos de condições extremas da temperatura como o aumento de secas, ondas de calor e enchentes nos próximos anos.

Surpresa

O ritmo de contração das geleiras do Ártico causou surpresa aos cientistas, que não previram em 2007 a rapidez do degelo.

Segundo o estudo atual, estoques gigantescos de gases, como o metano, que estavam presos por milênios no solo congelado do Ártico já poderiam ter começado a vazar na atmosfera."

O novo relatório do Pnuma pretende inspirar líderes mundiais, que se reunirão em dezembro para a Conferência sobre Mudança Climática da ONU, a formalizar o acordo para a próxima fase do Protocolo de Kyoto.

O encontro ocorrerá em Copenhague, capital da Dinamarca.

A primeira fase de cumprimentos do documento expira em 2012.

publicado por ecotv às 16:16

link do post | comentar | favorito

.Twitter ECOTV

http://twitter.com/ECOTV

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Antártica: avanço da vege...

. País produz 1o. modelo de...

. Capivari de Baixo, mobili...

. Tubarão subscreve ação co...

. Movimento pela vida, não ...

. A voz dos jovens

. A BP usou dispersante tóx...

. Instituto ambiental fede...

. Sea Shepherd questiona d...

. Belo Monte: Pandora é aq...

.arquivos

. Fevereiro 2013

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Aquecedor solar de garraf...

.as minhas fotos

.Twitter ECOTV

http://twitter.com/ECOTV
blogs SAPO

.subscrever feeds